sábado, 28 de fevereiro de 2015

Entrevista: MÚSICO MANECAS COSTA SONHA VER NO PAÍS UM FESTIVAL INTERNACIONAL “JOSÉ CARLOS SCHWARZ”

Músico Manecas Costa
O músico internacional da Guiné-Bissau, Manecas Costa, disse em entrevista ao jornal O Democrata que o seu maior sonho é ver o seu país natal organizar um Festival Internacional que poderá ser denominado “Festival José Carlos Schwarz”. Também manifestou a vontade e o desejo de gravar um disco infantil no país com crianças guineenses. Explicou ainda que o atraso da colocação no mercado do seu novo disco deve-se à desistência de um grupo de seguidores que queriam apoiá-lo, mas que mudaram de ideias e já não apoiam o trabalho.
 
O músico informou que há outro grupo de pessoas que está a tratar e bem do assunto. Revelou que o montante em falta para finalizar o novo álbum é estimado em 35.000€. Aproveitou o microfone do jornalista do semanário “O Democrata” para apelar às rádios do país para que passem mais músicas nacionais, ao invés de músicas estrageiras cujas percentagens nas diferentes rádios superam muitas vezes as da música nacional. Leia mais

Leia também: Parlamentos de Cabo Verde e da Guiné-Bissau vão assinar protocolo de cooperação

PROJETO PARA REDUZIR MORTALIDADE MATERNO-INFANTIL NA GUINÉ-BISSAU GANHA AMBULÂNCIAS E MOTOCICLOS

Um projeto de saúde para redução da mortalidade materno-infantil na Guiné-Bissau vai passar a dispor de duas ambulâncias e dois motociclos para melhorar os transportes de urgência, anunciou hoje a delegação da União Europeia (UE) em Bissau.
 
Os veículos entregues pela UE e pela organização Entraide Médicale Internationale (EMI) vão ser utilizados pelo Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materno-Infantil na Guiné-Bissau (PIMI).
  
De entre as atividades da iniciativa "destaca-se o transporte gratuito da população alvo do projeto em caso de emergência e os equipamentos agora entregues ao Ministério da Saúde da Guiné-Bissau vão facilitar essa atividade", realça a UE.
 
São beneficiários os residentes nas regiões de Cacheu (norte), Oio (centro) e Gabu (leste), especialmente mães, mulheres grávidas e crianças menores de cinco anos, assim como o Hospital Regional de Mansoa e os Centros de Saúde de Dandum, Jeta e Pecixe.
 
O PIMI, iniciado em julho de 2013 e com uma duração de três anos, está orçado em de 9,8 milhões de euros, é financiado a 80% pela UE, sendo os restantes 20% assegurados pelas instituições implementadoras: Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Instituto Marquês de Vale Flor (IMVF) e EMI.
 
Espera-se que as medidas alcancem 91 mil crianças menores de cinco anos e cerca de 117 mil mulheres em idade fértil das regiões-alvo, bem como mais de 350 profissionais de saúde de 45 estruturas de saúde (centros de saúde, centros materno-infantis e hospitais regionais). Fonte: Aqui

REPLICA AO DEPUTADO SOLA NQUILIM NA BITCHITA

Obrigado mano Doka, estamos juntos.
 
Na sessão ordinária da Assembleia Nacional Popular, do dia 27 do corrente, ficou marcada com a intervenção do deputado Sala Nquilim Na Bitchita, um dos dirigentes do Partido da Renovação Social (PRS), que há anos se destaca como a segunda maior força política, ou seja, a primeira da oposição. Durante a sua fala, Sola afirmou ser inaceitável que figuras que cometeram crimes durante o período de transição que se seguiu ao golpe militar estejam a passear impunemente no país, enquanto os dirigentes derrubados pelo movimento se encontram no estrangeiro contra as suas vontades.
 
Ainda, o deputado defendeu ser um absurdo, o facto que figuras como o ex-presidente interino Raimundo Pereira, o primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior e o ex-ministro da Defesa e líder partidário Iancuba Indjai não possam regressar ao país, depois da retoma da normalidade constitucional, com a realização de eleições e posse de novas autoridades, em 2014. Pois, considerou que ainda não há condições de segurança para o regresso ao país dos líderes derrubados no golpe de Estado de 2012, por isso, pediu ao Governo para as criar.
 
Ouvindo tudo isso, infelizmente, lamento bastante da impetuosa vontade e prazer dos nossos políticos em insinuar e difundir sempre uma imagem de país de instabilidades e conflitos. Jamais lhes apetecem em enaltecer algo reconhecidamente positivo dos guineenses, e sim, relutantemente conspiram para ridicularizá-los.
Eu, modestamente, defendo que a qualquer cidadão assiste todo direito de regressar ao país, seja lá quando for que lhe apetece. Porém, nesse tom da intervenção do Sr. Deputado, transmite do país, um clima de caça aos bruxos, quando bem sabemos que o ambiente da vivencia política e social do país é de extremo sossego e paz. Ou melhor, não tem indicio algum de perseguição e ameaça contra integridade física de qualquer um. Tanto que, alguns dos nossos concidadãos vitimas de algum movimento militar e político, e antigos dirigentes políticos do país depostos em consequência de golpe do Estado de 12 de Abril de 2012, regressaram ao país, e por lá fazem tranquilamente as suas vidas. Pelo menos até então, não foi registrada alguma denuncia de ameaça e tentativa de retaliação contra as suas integridades física.
 
Adiato Nandigna e Fernando Gomes, foram antigos dirigentes políticos do país antes de 12 de Abril de 2012, que depois foram para Portugal por algum tempo, igualmente, Carlos Gomes Jr. e Raimundo Pereira, mas, os dois primeiros voltaram voluntariamente ao país, levam tranquilamente as suas vidas por lá, e, porque razão as demais figuras devem merecer outra cortesia para se regressarem?
 
Alias, curiosamente, gostaria de saber, por onde andava o Sr. Deputado, que lhe faltava garganta em levantar a sua voz de incansável ativista dos direitos de segurança dos cidadãos guineenses, quando Faustino Imbali foi barbaramente espancado e impedido de viajar para tratamentos médicos?
 
Por onde andava o Sr. Deputado, quando os familiares do Presidente Nino, General Tagme, Helder Proença, Baciro Dabó e Tito Intchala, exigiam a garantia dos seus direitos em assistir julgamento dos assassinos dos seus entes queridos.
 
Por onde andava o Sr. Deputado, quando Pedro Infanda, em exercício da sua profissão, sendo advogado constituído pelo Contra-almirante Bubu Natchuto, em sua defesa, foi brutalmente espancado, e padecia bastante para conseguir uma junta medica, a fim de se tratar.
 
Por onde andava o Sr. Deputado, quando os familiares do Roberto Cacheu faziam e fazem mil correrias para obterem a informação do paradeiro do seu membro, até então, sem sucesso.
‹O dirigente do Partido da Renovação Social (PRS) afirmou ser inaceitável que figuras que “cometeram crimes” durante o período de transição que se seguiu ao golpe militar estejam a “passear impunemente” no país, enquanto os dirigentes derrubados pelo movimento se encontram no estrangeiro “contra a sua vontade”.› (http://www.odemocratagb.com/deputado-pede-seguranca-para-que-lideres-derrubados-possam-voltar-ao-pais/)
Essa acusação do Sr. Deputado é muito vago, o que demostra ressentimento e ódio recalcado contra os dirigentes políticos do período da transição após golpe de 2012, porque, senão for, pelo menos que seja mais imediato na sua acuacusação.
 
Caro deputado, já é tempo de assumirem seriamente as devidas responsabilidades, e deixarem de politiques movidos de ambições egoístas. Pois, já estamos fartos de ver desenvolvimento do nosso país a ser comprometido, assim como, nossos futuros e dos nossos irmãos a serem adiados.
Viva Guiné-Bissau,
Viva unidade nacional,
Viva paz e desenvolvimento.
 
“Um dia no kabas na sabi, nona kume toku no limbi mon.”
 
Florianópolis, SC; Brasil, 28/02/2015
 
Só vou acrescentar o seguinte: O Sola andou a beber e a fumar o que não deve, só pode ser. Não adianta defender esta corja, porque serás sempre visto por ela como um blufo, balanta di padja, pé di lama, tabankero etc. Foste infeliz nas tuas declarações! Aprenda a lição.

PJ DETEVE COMISSÁRIO DA POP DE BUBAQUE SUSPEITO NA MORTE DE AGENTE GAMBIANO

Inauguração da sede da Polícia Judiciária em Bissau.
A Polícia Judiciária deteve na semana passada o Comissário da Polícia de Ordem Pública de Bubaque, Estevão Vieira, por suspeitas de envolvimento no homicídio do inspetor da Polícia de Gâmbia, Bernard Gomes. O polícia gambiano foi encontrado morto com uma corda atada ao pescoço, numa localidade próxima da residência do comissário, na ilha de Bubaque. Ainda no âmbito da investigação, a PJ deteve mais três civis por fortes suspeitas de envolvimento no caso.
 
O semanário “O Democrata” apurou que o corpo do inspetor da polícia gambiana foi encontrado pendurado na noite de 31 de Janeiro a 1 de Fevereiro, no Bairro de Buba, em Bubaque. Segundo informações, algumas pessoas contaram à polícia que terão visto o inspetor gambiano e o comissário da POP de Bubaque juntos, durante todo o dia de 31 de Janeiro.
 
O nosso jornal soube ainda que o inspetor da polícia gambiana se encontraria na fase da reforma e em gozo de férias, e que teria aproveitado esse período para acompanhar o corpo do seu cunhado (marido da sua sobrinha) à Guiné-Bissau. O Cunhado falecera em Bandjul (Gâmbia) onde se encontrava em tratamento médico.
 
Ainda de acordo com informações apuradas, o inspetor da polícia gambiana teria na sua posse uma quantia em dinheiro, destinada a apoiar a sua irmã no velório e nas cerimónias fúnebres do cunhado, razão pela qual terá sido morto.
 
No entanto, “O Democrata” apurou que o corpo de inspetor da polícia portuária gambiana foi transladado para a Gâmbia pelos responsáveis da embaixada daquele país, no passado dia 18 do mês em curso.
 
EMBAIXADA DA GÂMBIA PEDE JUSTIÇA NO CASO DA MORTE DO SEU CIDADÃO EM BUBAQUE
 
Contactado pelo nosso semanário, o embaixador da Gâmbia, Abdou Djedju, disse estar muito preocupado com o silêncio das autoridades guineenses que não reagiram à morte do inspetor Gomes na Guiné-Bissau. Lembrou que, depois de tomar o conhecimento da morte do seu concidadão na ilha de Bubaque, prontificou-se e escreveu uma carta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Cooperaçéao Internacional, manifestando o desejo de a embaixada ver na justiça os autores da morte do inspetor Gomes.
 
“O inspetor acompanhou a sobrinha na transladação do corpo do marido que falecera na Gâmbia. Vieram para Bissau e depois seguiram para a ilha de Bubaque, onde foi realizada a cerimónia fúnebre. O cunhado do inspetor encontrava-se na Gâmbia em tratamento médico. O inspetor passou todo o dia de 31 de Janeiro na aldeia da sua sobrinha, mas infelizmente foi encontrado morto e preso a uma corda na manhã do dia um de fevereiro”, explicou.
 
O diplomata contou que os resultados de autópsia mostram claramente que o inspetor Gomes terá sido espancado até à morte, e que depois terá sido pendurado, preso a uma corda pelo pescoço, como se se tratasse de um suicídio. Sustentou ainda que uma perícia médico-legal concluiu que as principais causas da morte do inspetor foram poli traumatismo crânio-cefálica, fratura da base craniana e choque traumático.
 
Djedju assinalou que O Ministério da Administração Interna terá recebido cópias dos originais das correspondências enviadas ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional sobre o assunto.
 
“O Presidente Gambiano, Yaya Djheme, disse ao Chefe de Estado guineense que a Gâmbia tem relações diplomáticas com outros países, mas não com a Guiné-Bissau. A Gâmbia considera a Guiné como um país irmão, por isso o povo guineense deve ver os gambianos como seus irmãos”, notou o diplomata, que entretanto mostrou-se “muito preocupado”, dado que os seus cidadãos não têm sido tratados como um povo irmão da Guiné-Bissau.
 
Por: Assana Sambú
Fonte: odemocratagb.com

UMA FRUTA QUE NÃO CAIU! – IX



clicar para ampliar
Martinho Júnior, Luanda (textos anteriores)
 
24 – Ao tornar Cuba, a partir do período especial em 1991, num “laboratório experimental” onde foram aplicadas as mais variadas técnicas e acções de terrorismo e propaganda (por parte de redes de características fascistas fieis a Fulgêncio Batista de exilados cubanos residentes sobretudo na Florida, estimulados pelos serviços de inteligência norte americanos) e ingerência directa em assuntos internos de carácter sócio-político e psicológico de Cuba (inclusive a partir dos Escritórios Representativos dos Estados Unidos da América em Havana), ou indirecta utilizando canais apropriados, foram conjugadas as políticas de bloqueio e guerra psicológica a um nível sem precedentes.
 
Até 2013, segundo Salim Lamrani, em “50 verdades sobre a Revolução Cubana”, Cuba sofreu “mais de 6 mil atentados, que custaram a vida de 3.478 civis e incapacitaram 2.099 pessoas.
 
Os danos materiais são avaliados em vários bilhões de dólares e Cuba teve de gastar somas astronómicas em sua segurança nacional, o que limitou o desenvolvimento dos programas sociais.
 
O próprio líder da Revolução foi vítima de 637 tentativas de assassinato”…
 
Os Estados Unidos prolongaram de facto a Guerra Fria contra Cuba, muito para lá do episódio do derrube do muro de Berlim e ao fazê-lo assumiram as vestimentas dum autêntico estado terrorista!
 
25 – O bloqueio não foi pois um simples “embargo económico”, por que as técnicas aplicadas na sua geometria variável foram sempre conjugadas e intimamente associadas a actos de inteligência, ingerência, manipulação, desestabilização, sabotagem e terrorismo, visando de algum modo hostilizar, ou transformar a vontade do povo cubano, procurando-o desviar do seu rumo socialista, procurando subverter a democracia participativa por que se regem estado e sociedade, procurando minar a sua capacidade de resistência e procurando inibir inclusive todos aqueles que se relacionam duma maneira ou de outra com Cuba, como por exemplo os simples turistas que vão em busca de paz e de lazer, de contacto humano e de contacto com a natureza!...
 
Têm sido vários os substratos sociais autóctones em Cuba que têm sido alvo preferencial da ingerência “laboratorial” norte americana e do seu labor em função dos conceitos que se prendem ao pregão de “liberdade democrática” em prol dum modelo de “democracia representativa” moldado pelos interesses e conveniências do império, entre eles, por exemplo:
 
- A intelectualidade, duma forma geral, incluindo cientistas, médicos, artistas… assim como algumas instituições ou organizações a que eles tenham aderido;
 
- A juventude, em especial aquela que tende a usar alguma das múltiplas capacidades instaladas nos telemóveis e computadores;
 
- Trabalhadores independentes, particularmente blogueiros e jornalistas;
 
- Familiares de contra-revolucionários presos, que respondem directamente aos estímulos (e pagamentos) da ingerência;
 
- Igrejas cujo carácter ou perfil possa ser vulnerável a financiamentos especializados feitos por adequados canais;
 
- Instituições ou organizações vocacionadas a acções sócio-políticas que conformam os propósitos directos da contra-revolução.
  
26 – Os Serviços de Inteligência norte americanos, em especial a CIA, utilizam canais como a USAID (“Agência dos Estados Unidos para a Assistência Internacional”) ou a NED (“National Endowment for Democracy”), ou seus “desdobramentos” que podem incluir canais por via de outros países latino americanos, que colocam ao dispor manancial humano para as operações em curso, evitando detenções como a ocorrida com o espião norte-americano Alan Gross, apesar dos riscos que correm os agentes assim recrutados e instrumentalizados.
Esse procedimento ajusta-se também melhor, de acordo com a perspectiva de ingerência norte americana, com a arregimentação que faz dos círculos mais reaccionários de migrantes cubanos na Florida redundantes dos apoiantes de Fulgêncio Batista, inclusive de organizações que têm pautado sua actuação utilizando medidas terroristas, que o foram desde a invasão ocorrida em Praia Girón, até à colocação de bombas em hotéis, ou à explosão no ar de aviões civis cubanos com a utilização de cargas explosivas colocadas através de suas operações.
 
O FBI tem tido conhecimento e ligação com esses grupos terroristas, conforme outro exemplo: um documento próprio com data de 23 de Setembro de 1977 que foi publicado por investigadores porto-riquenhos que a ele tiveram primeiro acesso.
 
O documento revela conhecimentos acerca da organização terrorista com as siglas CORU (“Coordinación de Organizaciones Revolucionarias Unidas”), a que pertenciam a essa data Luis Posada Carriles, Orlando Bosch e Frank Castro, reconhecidos autores do atentado a uma aeronave da “Cubana”, que causou explosão do aparelho e a morte de 73 de todos os seus ocupantes.
 
Os Estados Unidos que colocaram Cuba na lista dos “estados terroristas”, foram denunciados dezenas de vezes, ano após ano, como os promotores de actos terroristas dessa natureza, em função da protecção e estímulo que organizações como essa sempre mereceram em seu território ou a partir dele, espalhando o seu “perfume” pela América Latina.
 
A persistência desse contexto, levou a que os Serviços de Inteligência cubanos se decidissem a infiltrar esse tipo de organizações terroristas e criminosas, a fim de melhor poder defender Cuba de suas acções, para além de estabelecer “cordões sanitários” que isolassem outros sob a mesma tutela, a actuar dentro do seu próprio território e fazendo uso da independência e da soberania revolucionária!
 
Ao transformar Cuba num “laboratório experimental” dessa natureza, os Estados Unidos não podiam esconder que o que priorizavam em direcção a Cuba, iriam depois aplicar um pouco por todo o Mundo e também na América Latina, pelo que a percepção dos fenómenos que artificiosamente desencadeava, pouco a pouco acabou por ser cada vez mais entendida por cada vez maior número de estados e de entidades, até aos seus detalhes mais íntimos.
 
Os Estados Unidos não podem esconder hoje que, sempre que assim actuarem são um estado terrorista nos seus relacionamentos internacionais e por isso mesmo se tornaram um verdadeiro santuário de terroristas, no caso de Cuba ao nível de organizações como a CORU!  
 
Os países vulneráveis do Terceiro Mundo percebem por outro lado, que resistências poderão ser estimuladas, que respostas no quadro dessas resistências devem ser encontradas, que argumentos sócio-políticos poderão mobilizar de forma a, ao mesmo tempo, aprofundar a democracia, livrando-a de nefastas representatividades e tornando-a efectivamente cada vez mais participativa!
 
Hoje é possível perceber como são geradas as “revoluções coloridas”, ou as “primaveras árabes”, como se mobilizam, como actuam e quais os objectivos de que se nutrem, por que durante décadas os Estados Unidos assumiram-se enquanto estado terrorista pelo que puseram em prática no“laboratório experimental” de Cuba!
 
Com esse conhecimento a América Latina percebeu quão importante é a integração, quão importante é a revolução bolivariana, quão importante é gerar culturas de resistência (particularmente com o concurso de culturas indígenas, como na Bolívia), quão importante é a mobilização popular e a equação de suas organizações sociais, quão importante é, salvaguardando para a sua causa as oligarquias patrióticas, colocar as oligarquias anti-patrióticas arregimentadas pelo império contra a parede impedindo a sua vassalagem e instrumentalização, ou seja, desmascarando os seus procedimentos comprometidos só possíveis no âmbito dos espectros mais conservadores que definem as “democracias representativas”!
 
Cuba, (entenda-se seu Povo, sua Revolução e seus heróis), é um farol e simultaneamente um exemplo que todos os progressistas, nos países vulneráveis do Terceiro Mundo devem estudar, para entender por que razão há tanta pressão para tornar impactantes determinados factores sócio-políticos que, por via do capitalismo neo-liberal, por via da “abertura dos mercados”, aderem “por osmose”, ao arregimentar oligarquias anti-patrióticas, aos interesses e conveniências da aristocracia financeira mundial!
 
A doutrina de choque, tem sido aplicada a Cuba de forma permanente e persistente, desde o início da Revolução Cubana e agora não pode  mais passar despercebida aos olhos de todo o Mundo!
 
Por que Cuba foi um fruto que não caiu, é hoje possível, mais do que antes, avaliar as capacidades de ingerência do império instrumentalizando os processos de globalização com características de hegemonia unipolar, da propositada supremacia das culturas anglo-saxónicas, da instrumentalização das “revoluções coloridas” e das “primaveras árabes”, bem como de elitismos que, sendo inteligentes, acabam por desembocar nos mesmos objectivos de jugo e domínio ao fazer ascender e consolidar o poder de 1% sobre o resto da humanidade!
Notas:
- Según un documento secreto descubierto por investigadores puetorriqueños
El FBI designa a Luis Posada Carriles, Orlando Bosch y Frank Castro como “responsables del desastre de Cubana de Aviación” – http://www.rebelion.org/noticia.php?id=125681
 
Gravura representativa da simbiose CIA-USAID

EFEMÉRIDES - 28 DE FEVEREIRO

Principais acontecimentos registados a 28 de Fevereiro na história do mundo:
 
1594 - O médico britânico Roger Lopez é preso sob a acusação de ter tentado envenenar a rainha Isabel I.
 
1806 - A Áustria alia-se ao "sistema continental" de Napoleão Bonaparte.
 
1869 - Morre o poeta francês Lamartine.
 
1904 - É fundado o Sport Lisboa e Benfica de Portugal.
 
1916 - Morre, em Londres, o escritor norte-americano Henry James.
 
1922 - O Egito ascende à independência, pondo-se termo a sete anos de protetorado britânico.
 
1933 - A primeira emissão radiodifundida em Angola e feita em Benguela por Álvaro de Carvalho.
         - Um decreto nazi suprime as liberdades civis na Alemanha.
 
1944 - A Grã Bretanha inicia a ofensiva militar contra os japoneses na Birmânia, no decurso da Segunda Guerra Mundial.
 
1956 - A Índia e a Indonésia assinam um tratado de auxilio mútuo.
 
1962 - Os EUA anunciam a realização de novas experiências nucleares na atmosfera, perto da ilha de Johnson, no pacífico.
 
1966 - Os austronautas norte-americanos Elliot See e Charles Rassett morrem quando o seu aparelho de treino se despenha na base aéreo-espacial de Saint Louis, no Missourt.
 
1973 - Cerca de 400 indios norte-americanos ocupam a região de Wounder Kne, no Dakota do sul, e detem 10 reféns, tentando negociar as suas reivindicações com o governo dos EUA.
 
1975 - É assassinado o cônsul norte-americano na argentina, John Patrick Egan, raptado dois dias antes pelos montoneros.
 
1976 - A Espanha retira-se definitivamente do Sahara Ocidental.
 
1978 - Realiza-se a primeira edição do Carnaval da vitória em Angola.
         - A Republica Popular de Angola e a Republica da Tunísia estabelecem relações diplomáticas.
 
1981 - Onze (11) partidos socialistas africanos da Tunísia, Senegal, Marrocos, Ilhas Maurícias, Sudão, Gâmbia, Ghana, Somália e Djibuti, anunciam, em Tunes, a criação de uma Organização Socialista Inter-Africana, para a qual Leopoldo Sedar Senghor, ex-presidente senegalês, é eleito presidente executivo.
 
1986 - O primeiro-ministro sueco, Olof Palme, é assassinado quando seguia numa rua de Estocolmo, e fazia-se acompanhar de sua mulher.
         - Na cidade de Haia (Holanda) assina-se a Acta Unica Europeia.
 
1988 - O general António Noriega assume o controlo do Panamá, na sequência do afastamento, pelo parlamento, do presidente Arturo Delvalle.
 
1991 - O presidente norte-americano, George Bush, anuncia o cessar-fogo no golfo a partir das 05:00 tmg, dando por finda a operação "tempestade do deserto", seis semana da guerra, 100 horas de batalha terrestre, 100 mortos e 20 prisioneiros da parte das forças aliadas, contra 150.000 mortos e mais de 175.000 prisioneiros do Iraque. Tarek Aziz entrega a ONU, três horas depois, a rendição de Saddam Hussein.
 
1995 - Na Bélgica termina, oficialmente, o serviço militar obrigatório que durava há 86 anos.
 
1996 - Morre Daniel Chipenda, um dos co-fundadores do MPLA em Angola.
         - A princesa de gales, Diana, aceita divorciar-se do príncipe Carlos, herdeiro do trono de Inglaterra.
 
1998 - Portugal é declarado um dos onze países fundadores do Euro, a partir de 01 de Janeiro de 1999. Fonte: Aqui

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

MEMBROS DO PAIGC LANÇAM ACUSAÇÃO AO PRIMEIRO-MINISTRO

Alguns membros do bureau politico do PAIGC acusam o Primeiro-ministro guineense de disponibilizar 05 camiões à Câmara Municipal de Bissau para a remoção de lixo com intuito de receber mensalmente 75 milhões de francos cfa de aluguer das viaturas.
 
Esta sexta-feira, em conferência de imprensa em Bissau, o porta-voz do coletivo afirma que existem irregularidades graves no funcionamento do partido e na governação do país.
 
José Carlos Macedo Monteiro foi ainda mais longe em afirmar que 05 navios carregados de contentores de madeiras foram cobrados avultadas somas de dinheiro que se desconhece o seu paradeiro.
 
José Carlos prometeu para a próxima semana realizar mais uma conferência de imprensa com maior participação dos militantes e simpatizantes do PAIGC, para esclarecer e denunciar algumas irregularidades sobre o país. 

CONFERÊNCIA DE BERLIM: PARTILHA DE ÁFRICA FOI HÁ 130 ANOS


Há 130 anos, em 1885, terminava na Alemanha um encontro de líderes europeus que ficou conhecido como Conferência de Berlim. O objetivo era dividir África e definir arbitrariamente fronteiras, que existem até hoje.
 
Tinha cinco metros o mapa que dominou o encontro em Berlim, que teve lugar na Chancelaria do Reich. Mostrava o continente africano, com rios, lagos, nomes de alguns locais e muitas manchas brancas.
 
Quando a Conferência de Berlim chegou ao fim, a 26 de fevereiro de 1885, depois de mais de três meses de discussões, ainda havia grandes extensões de África onde nenhum europeu tinha posto os pés.
Representantes de 13 países da Europa, dos Estados Unidos da América e do Império Otomano deslocaram-se a Berlim a convite do chanceler alemão Otto von Bismarck para dividirem África entre si, "em conformidade com o direito internacional". Os africanos não foram convidados para a reunião.
 
À excepção da Etiópia e da Libéria, todos os Estados que hoje compõem África foram divididos entre as potências coloniais poucos anos após o encontro. Muitos historiadores, como Olyaemi Akinwumi, da Universidade Estatal de Nasarawa, na Nigéria, consideram que a Conferência de Berlim foi o fundamento de futuros conflitos internos em África.
 
"A divisão de África foi feita sem qualquer consideração pela história da sociedade, sem ter em conta as estruturas políticas, sociais e económicas existentes." Segundo Akinwumi, a Conferência de Berlim causou danos irreparáveis e alguns países sofrem até hoje com isso.
 
Novas fronteiras
 
Foram definidas novas fronteiras e muitas rotas de comércio desapareceram porque já não era permitido fazer negócios com pessoas fora da sua própria colónia.
 
Em muitos países, como foi o caso dos Camarões, os europeus desconsideraram completamente as comunidades locais e as suas necessidades, lembra o investigador alemão Michael Pesek, da Universidade de Erfurt.
 
"Os africanos aprenderam a viver com fronteiras que muitas vezes só existiam no papel. As fronteiras são importantes para a interpretação do panorama geopolítico de África, mas para as populações locais têm pouco significado", defende.
 
Na década de 1960, quando as colónias em África começaram a tornar-se independentes, os políticos africanos tiveram a oportunidade de rever os limites coloniais. No entanto, não o fizeram.
 
"Em 1960, grande parte dos políticos africanos disse: se fizermos isso, então vamos abrir a caixa de Pandora", explica Michael Pesek. "E provavelmente tinham razão. Se olharmos para todos os problemas que África teve nos últimos 80 anos, vemos que houve muitos conflitos internos, mas muito poucos entre Estados por causa de fronteiras."
 
Compensações pelo colonialismo
 
Em 2010, no 125º aniversário da Conferência de Berlim, representantes de muitos países africanos em Berlim exigiram compensações para reparar os danos do colonialismo. A divisão arbitrária do continente africano entre as potências europeias foi um crime contra a humanidade, disseram em comunicado.
 
Defendiam, por exemplo, o financiamento de monumentos em locais históricos, a devolução de terra e outros recursos roubados e a restituição de bens culturais.
 
Mas, até hoje, nada disso foi feito. O historiador Michael Pesek não se mostra surpreendido. "Fala-se muito em compensações por causa do comércio de escravos e do Holocausto. Mas pouco se fala dos crimes cometidos pelas potências coloniais europeias durante os anos que passaram em África."
 
O investigador nigeriano Olyaemi Akinwumi também não acredita que algum dia haverá qualquer tipo de indemnização.
 
Hilke Fischer / Madalena Sampaio – Deutsche Welle

GABRIEL SÓ ENCOBRE DA IMUNIDADE PARLAMENTAR PARA SE LIVRAR DE PRISÃO

Gabriel Só deputado do PAIGC condenado pelo Supremo Tribunal de Justiça por 08 anos de prisão efetiva e ao pagamento de mais de 140 milhões de francos cfa.
 
A matéria de crime está ligada no âmbito do processo que opunha a uma empresa gráfica.
Analistas em Bissau afirmam que o parlamentar condenado o seu nome não devia constar na lista dos candidatos ao cargo de deputados da nação.
 
Neste momento o deputado está coberto de imunidade parlamentar, facto que, analistas dizem ser necessário levantada, na medida em que não foi condenado durante o mandato parlamentar.
 
Rispito.com soube esta sexta-feira que, o deputado condenado entrou com uma reclamação por não concordar com a decisão do Supremo Tribunal de justiça, ultima instância judicial do país. 
 

"NNA TCHOMA NOMI" IV

Discunfiadu I gatu ku limbi nata. Nhu L V conta kafunbam! Sabemos qual tem sido o seu papel. Kal dia ku landron fala nfurta? Então, se o seu perfil até parece daqueles clientes do HSBC que apresentam três ou quatro nacionalidades diferentes. Está atirar-nos a poeira nos olhos? Olha para o Arkady Gaidamak, traficante de armas que criou Ascorp, empresa do sector de diamantes em Angola. Não precisava de ser conhecido em Angola e parecia que não tinha vínculos com aquele país.  Mas, Gaydamak reservara 24.5 por cento das acções da empresa para Isabel dos Santos, a primogénita do presidente angolano. Outro traficante era o tal Pierre  Falcone.
 
Estes dois homens   obtiveram a nacionalidade angolana e passaportes diplomáticos pelos seus serviços de fornecimentos de armas e assistência técnico-militar para o aniquilamento dos rebeldes da UNITA. Por isso meu caro tuga, embora negue a sua parceria com o dito-cujo (o DSP), sabemos que é um assunto que não queria que viesse, de maneira alguma, à baila.  Por isso, olha, quem brinca com o fogo queima-se. Não quer sujar com lama, então não entra na política da forma como entrou, à socapa.  

NHU BARBAS

Pergunto: que Ministros são estes que nós temos agora na nossa terra? 
 
Como pode o Ministro dos Negócios Estrangeiros da República da Guiné-Bissau, do país de lendários, de heróis e de grandes combatentes, chegar a um país como Angola, cabisbaixo e se ajoelha feito mendigo? Djé, subanalai, garandis tudu kaba na morança, didi meh!  
 
O Ministro Mário Lopes da Rosa, disse, ontem, à imprensa, à saída da audiência com o Ministro da Defesa de Angola, João Lourenço que «A partir de agora está relançada essa cooperação (no domínio da defesa), porque a conversa mantida com o titular da Defesa de Angola resumiu-se neste aspecto, pois existe disponibilidade do governo angolano neste capítulo». Será que este homem é surdo ou não estudou bem a lição? Ei, Nhu Barbas, acorda, não é tudo que vem a rede é peixe, meu caro! A nossa cooperação na área da defesa e segurança é na nossa sub-região. A oferta angolana roça a depravação e ao neocolonialismo. Por isso, grito bem alto: abaixo!

GUINÉ-BISSAU: DEPUTADOS ADIAM DEBATE SOBRE ESTATUTO DE LÍDER DA OPOSIÇÃO

Resultado de imagem para anp guine bissau
Bissau - Os deputados da Assembleia Nacional Popular (ANP) adiaram sem data prevista, esta quinta-feira, 26 de Fevereiro, o debate e votação do Projecto Lei Sobre o Estatuto do Líder da oposição na Guiné-Bissau.
 
A decisão é da mesa da ANP em resposta ao pedido da Bancada parlamentar do PAIGC, que entende ser necessário auscultar outras forças políticas sobre o assunto.

O líder da bancada maioritária no hemiciclo guineense, Califa Seide, afirmou que a sua bancada sugeriu à mesa da ANP que se suspenda a discussão deste diploma e que este seja submetido às outras formações políticas do país para se pronunciarem e, se possível, que seja retomada nesta sessão.

A mesma posição foi defendida pela segunda força parlamentar, Certório Biote, líder parlamentar dos renovadores, que considera legítimas as preocupações da bancada do PAIGC.

«Nós ouvimos atentamente as constatações da bancada parlamentar do PAIGC, que são legítimas. Nós estamos a fazer a política. Não podemos estar aqui a contrariar uma bancada, quando entendemos que é a melhor solução para uma determinada questão, ou seja, quando se trata do Projecto-lei deste género deve ouvir-se as outras formações políticas que não estão aqui representadas» referiu.

Nesta sessão, que termina a 7 de Abril, serão debatidos ainda o Projecto-lei sobre a disciplina militar, o Estatuto dos antigos titulares dos órgãos de soberania e o Estatuto remuneratório dos magistrados judiciais.

Tiago Seide
(c) PNN Portuguese News Network

"MENSALÃO" NA GUINÉ-BISSAU?

Nhu Poh (Domingos Simões Pereira) quer legalizar o "Mensalão" na Guiné-Bissau. O "Mensalão" é o nome dado ao escândalo de corrupção política mediante compra de votos dos parlamentares no Brasil (2005 - 2006), no mandato do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Tudo aconteceu no dia 14 de Maio, com a divulgação de uma gravação vídeo mostrando o deputado Maurício Marinho recebendo "luvas" para beneficiar ilicitamente uma empresa. 
 
Cá, entre nós, o Primeiro-ministro aliado a oposição (PRS) pretende matricular esta ideia na Guiné-Bissau, com o Projecto-Lei sobre o Estatuto do Líder da Oposição. Mas, dizem que a votação foi adiada "sine die". Dizem que a idei é profética e partira de Nhu Poh. Visa, portanto, a criação de condição de equilíbrio entre o Governo e o partido na oposição. Como explica o Progresso Nacional Fascista: "Ele quer com este diploma eliminar o fosso existente entre os "ditos" vencedores (que ganham tudo) e vencidos (que perdem tudo) nos processos eleitorais e, que depois levam a situações de instabilidades políticas e militares e consequentes golpes de Estado ..". Pergunto: de que tipo de "fosso existente" se fala, ideológico ou físico (money)? Conclusão: Nhu Poh quer transformar os vencidos em vencedores, entenda-se, matar o espírito do contraditório, amarrar os dois pés juntos, enfim matar a democracia na nossa terra. 

 

Vejam, então, o que escreveu o Progresso Nacional Fascista no seu blog: "Estamos solidários com esta visão "Profética" de DSP e esperamos que os políticos e sobretudo da bancada do PAIGC entendam o que quer na verdade o seu Presidente com este diploma e deixem de mininisses, ingenuidade e falta de inteligência que sempre os caracterizou ..."  Oh my God! Estes arruaceiros são extraterrestres e quistos que o próprio PAIGC precisa de extrair.

 
Por outro lado, chamo a vossa atenção sobre os sanguessugas do PRS. Não se deixar intimidar pelos seus líderes, nomeadamente do seu Presidente e o Secretário-geral.  O Alberto Nambeia fez primeira classe quando o DSP o levou no colo para Nova Iorque. O Flora é um amuado e limitadíssimo. Estas duas figuras estão a ser corrompidos com dinheiro de Angola. 
 
Nô kansa tchora!

COOPERAÇÃO NA DEFESA ENTRE ANGOLA E GUINÉ-BISSAU PODE SER RETOMADA EM BREVE????

CEDEAO 5 - 0 CPLP
Retomar cooperação com gangues? Não acredito! Chegou a hora de lutarmos contra esses mafiosos e criminosos.
 
O ministro dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau disse esta quinta-feira em Luanda que «num curto espaço de tempo» a cooperação no domínio da defesa entre Angola e o seu país poderá ser retomada.
 
Mário Lopes da Rosa, que falava à imprensa no final de uma audiência com o ministro da Defesa de Angola, João Lourenço, frisou que o encontro serviu para o relançamento dessa cooperação, «à semelhança do que vinha acontecendo nos últimos três anos».
 
«A partir de agora está relançada essa cooperação, porque a conversa mantida com o titular da Defesa de Angola resumiu-se neste aspeto, pois existe disponibilidade do governo angolano neste capítulo», realçou o ministro. 
 
O governante guineense, que realiza a sua primeira visita oficial a Angola, lamentou a paralisação do acordo existente entre os dois países no domínio da Defesa.
 
Ao abrigo de um protocolo assinado entre Angola e a Guiné-Bissau, no âmbito da ajuda angolana ao Programa de Reforma das Forças Armadas Guineenses, foi criada a Missão de Angola na Guiné-Bissau (MISSANG). Entretanto, o programa foi interrompido na sequência do golpe de estado executado a 12 de abril de 2012 e que depôs, na altura, o Presidente da República interino, Raimundo Pereira, e o Primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior. O referido programa estava orçado em 13 milhões de dólares e incluía a reparação de quartéis militares e esquadras policiais, a reorganização administrativa, a formação técnica e adestramento militar, bem como a formação de efetivos em instituições de ensino militar e policial em Angola.
 
A manutenção de 270 militares e polícias na Guiné-Bissau, no âmbito da presença da MISSANG, custou 10 milhões de dólares a Angola, com gastos resultantes da execução de vários projetos para os setores da Defesa e Segurança guineenses.
 
O chefe da diplomacia guineense, que se encontra em Luanda desde terça-feira, foi esta quinta-feira recebido em audiência pelo vice-Presidente angolano, Manuel Vicente, a quem reiterou o convite à participação de Angola na conferência de doadores para a Guiné-Bissau, a realizar-se a 25 de março, em Bruxelas. Fonte: Aqui

QUER O OCIDENTE GOSTE OU NÃO, PUTIN É VENCEDOR - opinião


Ao contrário de muitos líderes ocidentais, Vladimir Putin tem uma estratégia clara, opina o cientista político britânico Alastair Campbell.
 
Alastair Campbell foi porta-voz do ex-premiê do Reino Unido Tony Blair e opinou, em entrevista à CNBC, que Vladimir Putin tem uma estratégia clara e “ele segue-a para tentar recuperar o antigo poderio da Rússia.”
 
Segundo Campbell, a política de Putin para aumentar a credibilidade da Rússia em todo o mundo o torna um vencedor entre a opinião pública.
 
Na entrevista, o cientista político também falou sobre o seu livro:
 
“É engraçado que, quando discutimos com o editor que nomes deveriam estar na capa, o nome de Vladimir Putin foi o primeiro porque, gostemos ou não, ele é o vencedor”.
 
O livro de Campbell descreve uma história que teve lugar em Brisbane durante a cúpula do G20. Como é sabido, o líder russo não participou no jantar final. Putin disse: "Eu sou a única pessoa nesta sala que tem uma estratégia e todos vocês têm táticas". É isso que o torna diferente de outros políticos, diz Campbell.
 
O cientista político fala no seu livro sobre os dois líderes que, na opinião das principais figuras no mundo dos negócios, têm uma estratégia: Vladimir Putin e Angela Merkel.
 
Caracterizando o líder russo, Campbell disse: "Eu acho que o seu objetivo de longo prazo é recuperar o poder russo e a força russa." Vladimir Putin tem uma ideia muito clara da sua própria estratégia, conclui o analista.
 
Entre outros políticos descritos do livro estão o presidente dos EUA, Barack Obama, e o premiê da Índia, Narendra Modi. Este último, segundo o autor, realizou uma companha eleitoral genial, mas isso não é bastante, e o autor conclui que estes políticos não têm uma estratégia clara.
Sergei Guneev – Sputnik, opinião

POPULARIDADE DE PUTIN SOBE PARA 86%, DE ACORDO COM PESQUISA INDEPENDENTE


O índice de aprovação do presidente russo Vladimir Putin subiu para 86%, um aumento de 17% desde fevereiro de 2014, de acordo com uma recente pesquisa independente do Centro Levada de opinião pública da Rússia.
 
Apenas 13% dos entrevistados disseram desaprovar o presidente ou se recusaram a responder à pergunta, de acordo com o estudo. 
 
A pesquisa também revelou que 59% confiam em Putin. Por outro lado, o índice de aprovação do primeiro-ministro Dmitry Medvedev é agora de 64%, uma queda de 7% desde setembro de 2014. Além disso, 19% das pessoas inquiridas disseram confiar no premiê, enquanto que 24% afirmaram confiar no ministro da Defesa, Sergei Shoigu, e 20% demostraram confiança no chanceler Sergei Lavrov. 
 
O índice de aprovação da Duma, câmara baixa do Parlamento russo, é de 50%, enquanto que 48% disseram desaprovar o trabalho dos deputados. 
 
A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 23 de fevereiro com 1.600 pessoas em 134 cidades russas. A margem de erro é de cerca de 3,4%. 
 
O Centro Levada é uma organização independente e não-governamental de sondagem pública e pesquisa sociológica e leva o nome de seu fundador, Yuri Levada, renomado professor russo de sociologia.

Alexei Druzhinin – Sputnik

EFEMÉRIDES - 27 DE FEVEREIRO

Principais acontecimentos registados a 27 de Fevereiro, na História do Mundo:
 
1510 - Afonso de Albuquerque conquista Goa, na Índia.
 
1560 - Assina-se o Tratado de Berwyck entre a Inglaterra e os lordes escoceses, o qual exige a expulsão dos franceses das terras da Escócia.
 
1666 - Nasce Luísa de Gusmão, rainha de Portugal.
 
1700 - O navegador inglês William Dampier descobre a ilha da Nova Bretanha, no Sudoeste do Pacífico.
 
1801 - Espanha declara guerra a Portugal, no âmbito da aliança com a França de Napoleão Bonaparte.
 
1814 - Nova vitória de Wellington sobre Soult, durante as invasões francesas, na Guerra de Orthez.
 
1844 - A República Dominicana consegue a sua independência do Haiti.
 
1861 - Ocorre o Massacre de Varsóvia, quando tropas russas disparam contra uma multidão que se manifestava contra o governo russo.
 
1882 - Realiza-se em Londres, (Grã-Bretanha) uma reunião sobre a promoção da emigração das mulheres solteiras ou em condições difíceis para o Canadá.
 
1900 - Funda-se o Partido Trabalhador britânico. Ramsey MacDonald é nomeado o primeiro secretário-geral.
 
1906 - Morre Samuel Pierpont Langley, astrónomo e físico norte-americano, pioneiro da aviação.
 
1928 - Nasce Ariel Sharon, político israelita.
 
1923 - Nasce Dexter Gordon, músico de jazz norte-americano.
 
1932 - Nasce Elizabeth Taylor, actriz norte-americana.
 
1933 - Incêndio no edifício do Reichstag, o parlamento alemão, de origem criminosa, que destrói o edifício. Um holandês, mentalmente desequilibrado, Marius van der Lubbe, foi apontado como culpado do incêndio, tendo sido executado.
 
1936 - Nasce Ivan Petrovich Pavlov, fisiólogo e psicólogo russo.
 
1939 - Grã-Bretanha e França reconhecem o governo fascista de Francisco Franco, em Espanha.
 
1942 - Batalha do Mar de Java com a derrota das Marinhas Americana, Inglesa, Holandesa e Australiana pela Marinha Imperial Japonesa, em que abre o caminho a estes para a invasão das Índias Orientais Holandesas, na II Guerra Mundial.
 
1945 - Os Fuzileiros dos EUA ocupam a segunda pista de aviação na ilha de Iwo Jima, durante a II Guerra Mundial.
 
1950 - O general Chiang Kai-Shek é eleito Presidente da República da China, nome oficial da China Nacionalista sediada em Taiwan.
         - A Índia apresenta a Oliveira Salazar a primeira proposta de negociação para a reintegração dos territórios de Goa, Damão e Diu na União Indiana. A proposta é recusada.
 
1951 - A 22ª Emenda da Constituição dos EUA é ratificada, limitando o mandato presidencial a dois mandatos de quatro anos.
 
1952 - Realiza-se a primeira reunião da ONU na sua sede permanente em Nova Iorque.
 
1967 - Adopta-se a bandeira de Antigua e Barbuda.
 
1996 - Lança-se no Japão os primeiros jogos da série multimilionária da Nintendo, Pokémon.
 
1968 - O parlamento britânico aprova uma lei que visa restringir a entrada de imigrantes de cor no país.
 
1974 - O governo etíope demite-se na sequência do amotinamento de várias unidades militares, que haviam capturado a cidade de Asmara.
 
1976 - Após a retirada das tropas espanholas, a Frente Polisário proclama a República Árabe Saharaui Democratica (RASD).
 
1977 - Morre, em Conacry (Guiné), Diallo Telli, o primeiro secretário-geral da Organização de Unidade Africana (OUA).
 
1978 - O Egipto restringe os privilégios especiais dos palestinianos que vivem no país.
         - A Presidência, a Assembleia e o Governo da República Portuguesa repudiam o pedido do dirigente líbio Mohamar Kadhafi para a independência da ilha da Madeira, considerada pela Organização de Unidade Africana como pertencendo a África.
 
1980 - A comunidade negra da Rodésia, actual Zimbabwe, inicia a votação de um governo de maioria, que levaria a última colónia britânica a independência.
 
1986 - O Cruzeiro, moeda brasileira que há 40 anos, é substituída pelo "Cruzado".
 
1990 - O parlamento da Checoslováquia aprova uma nova lei que possibilita a realização de eleições livres no país, após 40 anos de monopólio do poder do partido comunista.
         - Adopta-se a bandeira da Letónia.
 
1991 - Na alvorada, tropas koweitianas entram na cidade do Koweit, enquanto as forças aliadas anunciam a destruição de 27 das 42 divisões iraquianas e a captura de 45.000 prisioneiro. Bagdad aceita todas as resoluções da ONU. O presidente norte-americano George Bush anuncia o fim da libertação do Kuwait.
 
1993 - O governo angolano aceita a proposta da representante especial do secretário-geral da ONU em Angola, Margareth Anstee, de uma "trégua" no conflito nacional.
 
1995 - O chefe da máfia, Salvatore "Toto" Rina e outros 47 suspeitos, membros da organização criminosa, vão a julgamento, sob a acusação de cumplicidade em 48 assassinatos na Sicília.
         - O Banco de Inglaterra intervém no Berings, o sexto maior banco inglês de investimento. A instituição encontra-se à beira da falência, devido aos investimentos especulativos de um corretor no mercado de futuros de Singapura.
 
1996 - O governo angolano protesta formalmente a UNAVEM-III pelo derrube de uma aeronave do tipo Antonov-12, ocorrido na Lunda Norte.
 
2000 - Termina o XXII Congresso do PSD, com reeleição de Durão Barroso.
 
2001 - A destruição das estátuas dos Budas, no Afeganistão é defendida pelo líder talibã Muhammad Omar.
 
2005 - Pela primeira vez em 26 anos de pontificado, João Paulo II, não faz a oração dominical na Praça de São Pedro, no Vaticano.
 
2006 - O Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, ordena a instauração de uma sindicância ao Serviço de Inteligência Externa.
         - Guiné-Equatorial e Gabão decidem delimitar as fronteiras, nomeadamente a questão de soberania sobre as Ilhas de Mbanié, Cacotiers e Conga. Fonte: Aqui